30 de dez de 2012

DICAS PARA AS FÉRIAS DA CRIANÇADA!


Crianças em casa? Hora de arrumar uma maneira para gastar tanta energia!

Confira as dicas Hirota para tornar suas férias ainda melhores.


1. Programar as férias
Não deixe as crianças grudadas na TV, vídeo game ou computador o tempo todo. Se viajar não está nos seus planos, combine passeios em parques, andar de bicicleta com a família, cinemas e shoppings. Se o tempo fechar, crie atividades dentro de casa. Convide a criançada para brincar! Jogos de tabuleiro, mímica, pintura, desenho e até ver fotos antigas de família.

2. Viajar.
Apesar do inverno, passar uns dias fora de casa ajuda a quebrar a rotina e a criançada adora. Tente passar alguns dias no campo ou até praia. Se a grana permitir, hotéis fazenda com monitores. É uma ótima pedida. Algumas cidades como Atibaia, Campos do Jordão, Serra Negra entre outras próximas a capital, oferecem ótimas opções.

3. Orientar sem comandar.
É muito comum que os pais tentem encher o dia da criança de atividades. As crianças podem ficar perdidas no meio de tanta informação e não aproveitar nada. Regre as atividades e as divida durante todo o período de férias.

4. Que tal convidar os amiguinhos para uma "festa na cozinha"?
É impressionante como as crianças gostam de participar das atividades domésticas quando isso não é uma obrigação. Programe a noite da pizza, bolos, temakis ou qualquer prato simples que a criançada pode participar. Tente criar uma linha de produção e encarregue cada participante com a tarefa que mais agrada a criança. Envolva-as em todas as tarefas. Da produção à limpeza. A supervisão de adultos na cozinha é VITAL. Facas, fogo, crianças de pé em cadeiras... muita atenção.

5. Dividir para somar
Que tal tirar uma mini-férias durante as férias das crianças? Impossível? Não, pelo contrário. As criancas gostam muito de passar os finais de semana na casa de outros amiguinhos. Combine com os mais próximos e mande as crianças para na semana seguinte receber os amiguinhos dos seus filhos também. 

6. Incentive a leitura
Visite uma boa livraria e ajude a encontrar livros interessantes para cada idade. A leitura precisa ser algo comum.

7. Aproxime a família
Aproveite para visitar os parentes que moram mais distante.

8. Faça um piquenique
Existem vários parques como o Ibirapuera ou Villa Lobos com grandes áreas verdes e espaços para fazer um verdadeiro piquenique. É um ótimo passeio. Atenção com as crianças em locais públicos. 

9. Cinema em casa
A criançada não se cansa de assistir os seus filmes favoritos. Chame os amiguinhos, afaste o sofá e prepare a pipoca.

10. Noite da festa de pijamas
Na verdade, apenas mais um motivo para reunir as crianças. Chame os amiguinhos, prepare os ingredientes e deixe tudo pronto para que cada um possa "montar" o seu hot-dog. Após o lanche, reúna a criançada para assistir algum filme e em minutos estarão prontas para irem pra cama.

28 de out de 2012

CONTOS DE FADAS

Os Contos de Fadas


Princesas, fadas, bruxas, dragões, anões, ogros, gigantes, e muitos outros personagens encantados vivendo em um tempo compreendido entre o “Era umavez...” e o “... viveram felizes para sempre.”, em um tempo mágico, que encanta, fascina e nos transporta para um mundo diferente: o mundo da imaginação.
Que tempo é este? Qual é o tempo de “Era uma vez”?
Na verdade, este é um tempo sem tempo, um espaço sem espaço, que só faz sentido na dimensão do imaginário. 



Quando ouvimos um conto de fadas, sejamos nós adultos ou crianças, temos uma experiência única, particular, que se constrói em nossa imaginação, no momento da narração, e nos transporta magicamente para “lá”, para o tempo do“Era uma vez...”. .
Lá”, onde tudo é possível, onde vovós saem vivas da barriga do lobo, abóboras viram carruagens e princesas adormecidas por cem anos acordam com o beijo de um príncipe.

Assim são os contos de fadas. Suas histórias instigantes são impossíveis de serem explicadas pelos padrões da razão, da nossa lógica. .
E justamente pelos “absurdos” que relatam, provocam nossa mente, que estimulada, se esforça na tentativa de compreender, de explicar cada conto. Este esforço funciona como uma chave, que num “click”, abre para nós o mundo da imaginação que todos trazemos adormecidos, num cantinho do cérebro, bem guardadinho, só esperando para ser acordado. 
A Pedagogia Waldorf estimula o contato das crianças com os contos de fadas, e os considera fundamentais a partir dos 3, 4 anos de idade. .
Neste período da vida da criança, as primeiras características do pensar se ampliam, mostrando pensamentos nem sempre fiéis à realidade exterior, é o grande “boom” da fantasia infantil. Os contos de fadas, no primeiro setênio, são verdadeiros alimentos para a alma..

Existem profissionais de educação que afirmam que as personagens boas e más sempre bem distintas, os obstáculos que elas enfrentam e os desfechos que não trazem finais felizes para todos, contribuem para a formação da personalidade, para o equilíbrio, para o bem-estar, para a sabedoria e até para a felicidade da criança. .
Pois, para estes profissionais, todos os problemas e ansiedades infantis, como a necessidade de amor, o medo do desamparo, da rejeição e da morte, são colocados nos contos de fadas em lugares fora do tempo e do espaço, mas muito reais para as crianças.



A criança identifica-se com os personagens.
Ora mais com um, e mais tarde mais com outro, de acordo com o momento da vida pelo qual ela está passando. Como também pode associar determinado personagem a outras pessoas importantes de sua vida.




Muitas vezes, ela pede a repetição do conto, quando então, revive sentimentos que vão sendo trabalhados a cada repetição, ampliando os significados aprendidos ou substituindo-os por outros mais eficientes, conforme as necessidades do momento.
Cada criança absorve suas próprias lições dos contos de fadas.
Sendo assim, não cabe aos pais introduzirem os contos de fadas na vida das crianças com um objetivo didático, nem tentar lhes passar as lições que o conto traz, pois estas são individuais.
Cabe aos pais escolher uma boa história e contá-la sem pressa, se entregando de alma e coração ao conto. O próprio conto depois se encarrega do resto.
As crianças que embarcam na grande aventura e fantasia de ir para “lá”, para o tempo do “Era uma vez...” e do “... viveram felizes para sempre.”, crescem mais otimistas, sensíveis e confiantes.
Afinal, acreditar que se pode viver feliz para sempre, torna a vida real cheia de finais felizes. Seja você também Feliz para Sempre!
Leia e conte Contos de Fadas!




20 de out de 2012

LEMBRANCINHA DE HALLOWEEN!!! U U U...

*Saquinhos com surpresas de balinhas e docinhos em forma de bichinhos nojentinhos, fazem a alegria do pequenos!!!



UMA ÓTIMA OPÇÃO PARA A CRIANÇADA COMEMORAR O HALLOWEEN!!!

25 de ago de 2012

A LENDA DAS MARGARIDAS

Existe uma lenda relacionada com o seu aparecimento:

Uma menina pequenina sussurrou um pedido ao céu da noite:

Oh estrelas! Por favor, queria que se transformassem em flores, para que eu pudesse brincar com vocês.

As estrelas refletiram num orvalho matinal e quando a menina acordou, viu muitas margaridas prateadas no seu jardim.

Então o Sol perguntou de manhã à menina:

Estás feliz? Tens algum desejo?

Obrigado - respondeu a menina - estou feliz.

Mas deixe-as florescer todas as estações, para poder alegrar as crianças.

Depois o Sol tocou nas margaridas com os seus raios solares e deixou no meio da flor um círculo amarelo.


As margaridas são as flores que abrem mal nasce o dia, por isso foi lhes dado o nome de "olhos do dia".

Na tradução do grego margarida significa "pérola".